Notícias

Sexta, 06 Setembro 2019

Programa Municipal de Combate a LGBTfobia Institucional é apresentado para funcionários e servidores da Secretaria Municipal de Saúde

Estratégia visa promoção de enfrentamento a LGBTfobia nas unidades de saúde do município

Programa Municipal de Combate a LGBTfobia Institucional é apresentado para funcionários e servidores da Secretaria Municipal de Saúde

Debater a importância da atenção à saúde integral e livre de preconceitos e discriminações para a população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais em Salvador (LGBTQ+) nos serviços de saúde de Salvador, foi o objetivo da apresentação do Programa Municipal de Combate a LGBTfobia Institucional, realizado na manhã desta sexta-feira (06) para servidores e funcionários da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que lotaram o auditório para a explanação. A professora Ivete Sacramento, secretária municipal da reparação (SEMUR), detalhou o programa, ao lado do secretário Municipal da saúde, Leo Prates.

A ação integra uma das metas do Planejamento Estratégico de Gestão 2017-2020 da Prefeitura Municipal do Salvador. " Essa atividade institucional visa humanizar e orientar as tratativas para o melhor acolhimento da população LGBT nos nossos serviços. É preciso que os funcionários públicos saibam identificar sem discriminar e indagar com respeito. Atitudes como chamar por nome social, reconhecer a união estável, não utilizar termo pejorativo e não negar uma simples ida ao banheiro por causa do gênero faz toda a diferença”, explicou a titular da Semur, Ivete Sacramento.

Já o secretário municipal da saúde, Leo Prates, reiterou a importância da ação, diante da ausência de informações por parte dos profissionais de saúde sobre a identidade de gênero e a diversidade sexual nos serviços, visto que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais muitas vezes não se sentem acolhidas e deixem de acessar as unidades da Atenção Básica, e acabam procurando atendimento nas UPA em situações emergenciais, quando a doença já se agravou.

“Estamos muito sensíveis a essa demanda, por isso, a SMS tem investido na educação permanente dos seus trabalhadores, de forma que essas pessoas possam ter um atendimento humanizado, livre de discriminação e preconceitos nas UBS e demais serviços da SMS”, pontou o gestor. “Esta é uma grande preocupação do Prefeito ACM Neto, que nos deu a missão de olhar para estas questões e resolver. É o que estamos fazendo, por meio de ações de qualificação profissional como esta”, completou.

Comitê de combate a LGBTfobia

A Prefeitura dedica atenção especial à proteção e garantia de direitos para a comunidade LGBTQ+, através do Comitê Técnico de Combate a LGBTfobia, coordenado pela Secretaria Municipal de Reparação (Semur). Além disso, foi criado neste ano o Decreto nº 29.574, que estabelece o Comitê Técnico de Combate a LGBTfobia Institucional, com o objetivo de promover o enfrentamento a este problema em todos os órgãos e entidades da Prefeitura.

A cidade conta ainda com o Observatório da Discriminação e com o Centro LGBT, este último, criado em 2016, já realizou 2.363 atendimentos, oferecendo orientação e encaminhamento jurídico em casos que envolvam violência contra lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros. O centro realiza diversas atividades e oficinas nas Prefeituras-Bairro.

Deixe um comentário

Faça login para poder comentar. Login opcional abaixo.

Facebook

Twitter

Boletim Informativo

*Campos Obrigatórios

Instagram