Notícias

Terça, 06 Agosto 2019

SMS promove webpalestra sobre LGBTfobia Institucional no SUS

A população LGBT está inserida nos grupos de vulnerabilidade à saúde, trazendo desafios para a consolidação do Sistema Único de Saúde

SMS promove webpalestra sobre LGBTfobia Institucional no SUS

Visando a qualificação da rede de serviços para o atendimento humanizado, livre de discriminação e preconceitos à população LGBT, bem como promover a eliminação da LGBTfobia no SUS, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da Coordenadoria da Atenção Primária à Saúde (APS), realizará, na próxima quinta-feira (8), às 14h30, a webpalestra ‘LGBTFOBIA INSTITUCIONAL: o que o SUS tem a ver com esse tema?’.

A ação é voltada para profissionais de saúde e gestores das Unidades Saúde, interessados podem assistir a webpalestra acessando o link. (http://telessaude.ba.gov.br/ofertas/tele-educacao/participe/).

A iniciativa é fruto de uma parceria com o Telessaúde Bahia e para ministrar a palestra foi convidado Erik Asley Ferreira Abade, atua como enfermeiro na Estratégia de Saúde da Família e Campo Temático Saúde da População LGBT.

Desafios

A população LGBT está inserida nos grupos de vulnerabilidade à saúde, trazendo desafios para a consolidação do Sistema Único de Saúde enquanto sistema universal, integral e equitativo. Em paralelo aos desafios, a LGBTfobia institucional que ainda ocorre nos serviços de saúde e impacta no acesso e na atenção integral à saúde desse grupo.

“A falta de informações por parte dos profissionais de saúde sobre a identidade de gênero e a diversidade sexual nos serviços de saúde faz com que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais não se sintam acolhidas e deixem de acessar as unidades da Atenção Básica, muitas vezes indo procurar atendimento nas UPA em situações emergenciais, quando a doença já se agravou. Sensível a essa demanda, a SMS tem investido na educação permanente dos seus trabalhadores, de forma que essas pessoas possam ter um atendimento humanizado, livre de discriminação e preconceitos nas UBS e demais serviços da SMS” ressaltou Lucia Barbosa, técnica do Campo Temático Saúde da População LGBT.

Deixe um comentário

Faça login para poder comentar. Login opcional abaixo.

Facebook

Twitter

Boletim Informativo

*Campos Obrigatórios

Instagram