Notícias

Sexta, 28 Junho 2019

UAI Boca do Rio poderá abrigar até 25 casais de moradores em situação de rua

Na ocasião, o secretário Leo Prates anunciou a oferta de capacitação profissional dos moradores de rua pela Prefeitura

UAI Boca do Rio poderá abrigar até 25 casais de moradores em situação de rua

Depois dos Barris, o bairro da Boca do Rio também passa a sediar uma Unidade de Acolhimento Institucional (UAI) – a décima em Salvador – que terá capacidade para abrigar 25 casais de moradores em situação de rua. Localizada na Rua Orlando Moscoso, 8, a estrutura foi inaugurada pela Prefeitura nesta sexta-feira (28), com as presenças do prefeito ACM Neto, do vice Bruno Reis e do secretário de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), Leo Prates, dentre outras autoridades e corpo técnico da instituição.

“A Prefeitura está fazendo o maior investimento da história, de mais de R$60 milhões, em relação aos moradores de rua. Sabemos que eles são vítimas de um problema social grave no Brasil, que é a desigualdade econômica e falta de oportunidades. Através de um tratamento humanizado, será dado exatamente todo o apoio que essas pessoas precisam. Tenho certeza que, em breve espaço de tempo, vamos ter uma outra perspectiva de apoio e suporte às pessoas em condição de rua na capital”, avaliou ACM Neto.

A UAI Boca do Rio será administrada pela Associação Pleno Cidadão (Aspec), entidade selecionada através de chamamento público municipal. A presidente da entidade, Maria Conceição Pinto, ressaltou que o acolhimento é feito com a garantia de total individualidade, respeito e identidade dos moradores de rua como seres humanos. “Aqui será trabalhada a reinserção social dos casais na sociedade. Será prestada assistência à saúde, documentação, fortalecimento de vínculos familiares e, em breve, também capacitação profissional. Queremos mostrar para eles que é possível retomar a própria vida e viver dignamente, até porque ninguém vive na rua porque quer”, completou.

Funcionamento – O público-alvo da UAI Boca do Rio é formado por pessoas em situação de rua e desabrigo por abandono, migração e ausência de residência, ou, ainda, para quem está em trânsito e sem condições de autossustento. Os serviços ofertados compõem proteção social especial de alta complexidade, na modalidade abrigo institucional, e têm como finalidade o acolhimento provisório com estrutura para receber com privacidade pessoas do mesmo sexo ou grupo familiar. A equipe é formada por 15 profissionais, dentre psicólogos, assistentes sociais, educadores físicos e do setor administrativo.

Capacitação – Na ocasião, o secretário Leo Prates anunciou a oferta de capacitação profissional dos moradores de rua pela Prefeitura, sendo parte do investimento feito com recursos federais. “Não existe política social mais forte do que o emprego. Por isso, vamos qualificar essas pessoas para que todas elas sejam inseridas no mercado de trabalho. Neste momento, por exemplo, já há 40 pessoas em situação de rua sendo encaminhadas ao mercado”, citou.

O titular da Sempre também salientou que o Estatuto da Igualdade Racial, sancionado pelo prefeito ACM Neto e publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de hoje (28), possui um dispositivo indicando que 2% das vagas de emprego oferecidas em Salvador sejam destinadas aos moradores de rua. “Como o projeto de capacitação ainda está em andamento, foi solicitado ao prefeito a suspensão desse artigo até que as pessoas sejam qualificadas e possamos atender à demanda”, explicou.

Deixe um comentário

Faça login para poder comentar. Login opcional abaixo.

Facebook

Twitter

Boletim Informativo

*Campos Obrigatórios

Instagram