Projetos de Indicação

Denomina um CMEI de Francisco Waldir Pires de Souza

PROJETO DE INDICAÇÃO Nº 243/2018

Considerando que Francisco Waldir Pires de Souza, nasceu em Acajutiba na Bahia, em 21 de outubro de 1926, filho de José Pires de Souza, ex-seminarista e coletor de impostos, e de Lucíola Figueiredo Pires de Souza. Passou a infância em Amargosa, BA, onde estudou o primário. Cursou o ginasial em Nazaré, BA, onde, aos quinze anos, a fim de obter recursos para fazer o curso preparatório para a faculdade em Salvador, deu aulas de datilografia a convite do diretor do colégio, Anísio Melhor, que lhe permitiu ainda utilizar uma das salas para ministrar aulas particulares de latim, matéria que havia se tornado obrigatória com a Reforma Capanema. Aos dezesseis anos, com os recursos ganhos, mudou-se para Salvador. Ingressou na Faculdade de Direito e, ao final do curso, foi escolhido o orador da sua turma, cuja formatura marcou a solenidade de inauguração do Fórum Ruy Barbosa, no ano do seu centenário. Enquanto estudante, na União dos Estudantes da Bahia - entidade à época existente, liderou o Movimento Antinazista.
No início da década de 1950, aos 24 anos, foi Secretário de Estado no governo de Régis Pacheco quando se casou com Yolanda Avena. Em 1954 elegeu-se Deputado Estadual, formando a base de apoio do Governo Antônio Balbino; em 1958 elegeu-se Deputado Federal, sendo escolhido vice-líder do Governo Juscelino Kubitschek. Em 1962 candidatou-se ao Governo da Bahia quando, apesar do veto da Igreja, então muito conservadora e resistente a admitir que um católico aceitasse o apoio do Partido Comunista, perdeu as eleições por uma diferença de apenas 3% dos votos para o candidato da UDN, Lomanto Júnior.
Em 1963, quando exercia a função de Coordenador dos Cursos Jurídicos da Universidade de Brasília (UnB), onde era também professor de Direito Constitucional, foi convidado pelo Presidente João Goulart para ocupar o cargo de Consultor-Geral da República. Em abril, já na primeira lista de cassados e perseguido, sai com Darcy Ribeiro de Brasília, e vai para o exílio no Uruguai, onde depois encontra sua esposa Yolanda e seus cinco filhos. Em 1966 muda-se para a França onde foi indicado para lecionar Direito Constitucional Comparado e Ciências Políticas em Dijon e em Paris. Voltou ao Brasil em 1970, ainda em plena ditadura militar, ocupando-se de uma empresa particular até a queda do AI-5, quando, retomados os seus direitos políticos, deixou tudo e voltou para a vida pública na Bahia.
Ajudou na fundação do PMDB durante a abertura política. Em 1982 foi derrotado na eleição para o Senado por Luís Viana Filho (PDS), que foi reeleito.
Em 1985 foi convidado pelo presidente Tancredo Neves para o Ministério da Previdência Social e mantido pelo presidente José Sarney. A gestão austera e eficaz habilitou-o a concorrer para o governo da Bahia no ano seguinte tornando-se o candidato mais votado da história, com uma vitória esmagadora em todas as regiões.
Mais de duas décadas depois de ter perdido as eleições para o governo da Bahia, voltou a se candidatar ao cargo em 1986, nas primeiras eleições diretas para governador após o regime militar. Waldir foi eleito e tomou posse aos 15 de março de 1987.
Em 1990, já no PDT, tornou-se o deputado com a maior votação no Estado. Nas eleições seguintes, já no PSDB, foi candidato ao Senado, sendo derrotado por Waldeck Ornelas, na disputa pela segunda vaga ao senado.
Em 1998 elegeu-se deputado federal com a maior votação no Estado, apesar de não ter apoiado o candidato à presidência do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, que, preferindo o apoio do PFL, não contou com o partido na Bahia. Candidatou-se a uma vaga no senado em 2002, ao lado de seu companheiro de chapa Haroldo Lima.
Em 2002 foi ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), promoveu ampla reestruturação da CGU, a fim de que o órgão pudesse cumprir adequadamente sua missão institucional. Durante o período em que esteve no comando da CGU, Waldir Pires implementou diversas e importantes políticas de controle da Administração Pública e de prevenção e combate à corrupção. Em 31 de março de 2006 assumiu o Ministério da Defesa, a pedido do presidente Lula. Em 2012 foi eleito Vereador de Salvador aos 85 anos pelo PT.
Francisco Waldir Pires de Souza faleceu em 22 de junho, aos 91 anos.

A CÂMARA MUNICIPAL DE SALVADOR
INDICA:

Ao Excelentíssimo Senhor Prefeito, que seja denominado Francisco Waldir Pires de Souza, um dos CMEIs localizados no Município de Salvador.

Salvador, 12 de julho de 2018.

LEO PRATES

Facebook

Twitter

Boletim Informativo

*Campos Obrigatórios

Instagram